8 de jun de 2011

fala!

não sei ler olhares.
por isso gosto de voz,
apesar das discrepâncias entre os conceitos,
dos significados imprecisos ou exagerados.
preciso saber sua opinião sobre aquela música,
aquele filme, preciso saber o que vamos fazer
para impedir mais uma arbitrariedade do Estado,
se você pegaria em armas ou seguiria no partidão,
se prefere filme francês ou hollywood ou os dois ou nenhum.
aceito palavras também.
pode me escrever cartas enormes, ou emails,
comentando sobre a novela, seu time,
o trabalho, qualquer coisa.
só não fique aí parado sem me dar pistas.
só não me faça ter de adivinhar o que há aí dentro ou,
pior, descobrir que não há nada.