29 de abr de 2006

Extremos

Tenho tanta vontade de viver
quanto de morrer.
Gosto tanto de coca
quanto de chocolate;
da serra
quanto do mar;
de carro
quanto de pé;
de sorrir
quanto de chorar;
de falar
quanto de ouvir;
de dormir
quanto de acordar;
de livro
quanto de tevê;
de deus
quanto do diabo.

Gosto tanto de você
quanto o odeio.


mrs. mojo rising

11 de abr de 2006

Da saudade

E era uma tristeza
assim de saudade.
Mais saudade que tristeza.
Que se viesses,
eu não resistiria,
embora saiba do espanto,
do engano do amor.

Embora te saiba rocha
que em vão tentei desvendar.
Dura,
invencível,
que nem toda a água do mundo
batendo e batendo e batendo
furaria.

Embora teus atos
não tenham combinado
com tuas palavras
e, então,
eu tenha ficado sem saber
o que de fato era,
o que de fato querias.

Que por ser uma tristeza
assim de saudade,
mais tristeza que saudade,
eu não resistiria
se viesses.
Que a tristeza é suportável,
mas a saudade é dilacerante.


clarissa

Mais novo sonho de consumo



Tiago Martins.

clarissa/ mrs. mojo rising/ bonnie

10 de abr de 2006

Um coração duro, por favor

Falta de ar. Taquicardia. Morte? Não, nada é fácil. Nem mesmo sei se quero. É só que às vezes penso seria tudo melhor com o fim. Porque o meio é difícil, doloroso. Não lhes parece, em certas horas, que os bons momentos não valem a pena? A mim, parece. Desde que morri, no ano passado, vejo o céu cinza. Pancadas de chuva ao cair da tarde. Nas noites de domingo, trovoadas e relâmpagos. Custa a passar. Desde que morri, num sábado, e ressuscitei no milésimo terceiro dia, tentei ficar atenta. Mas a esperança, essa maldita, não me deixou, me confundiu, aproximou-se novamente, sorrateira, e eu cedi. O bom é que, depois da primeira grande queda, nenhuma outra machuca tanto. Dessa vez, ressuscitei cinco minutos depois. E, em vez da enorme tristeza, veio o alívio. Alívio de estar novamente acordada, atenta, olhos abertos e coração fechado. Como é mesmo, meu amigo? Cafajeste de coração mole? Não, prefiro ser gente bacana de coração duro. É possível? Creio que sim. Se não, que eu seja, então, cafajeste de coração duro. O importante é o coração duro. Uma pedra, uma rocha indevassável, com segredos que nem eu mesma conhecerei. Porque a transparência, a entrega, a sinceridade, como sempre, só têm me feito mal.

mrs. mojo rising